ABRIGO

A poesia
surge
tenta se fazer sozinha.

Temo
duvido
aceito.

Me abriga,
me acolhe.

No claro-escuro
do tempo
organiza a memória
descerra lembranças

do dia
nas idas
nas vindas
nas voltas

da noite
nas voltas
nas vindas
nas idas

do silêncio
nas vindas
nas idas
sem volta.

 

Advertisements
    • Anonymous
    • November 25th, 2008

    Gostei das palavras! Lê, tô meio parada de preguiça viu, rs mas se puder visitar meu outro blog http://geraldomeentende.blogspot.com/beijos!!

    • Anonymous
    • November 25th, 2008

    Leda querida! Taí um poema cheio de nuanças, mensagens que podem ser capturadas com uma reflexão mais profunda. Também descobri uma coisa genial!!! Li o poema ao contrário, do final para o início e nasceu uma intrepetação nova. Experimente e faça isso. As palavras, sempre elas, explodem em novos significados. Adorei! Um beijo.

    • cami
    • November 25th, 2008

    Linda!

    • Anonymous
    • November 23rd, 2008

    Hoje acordei decidido, às 4:30 da manhã. Na verdade, me programei pra isso, pus até despertador. Não dava mais pra ficar sem.De Recomendação Milenar até aqui, tudo foi num único e delicioso sorvo. No meio do caminho, uma sopa quente. Senti que algo estava como que um pouco errado. Não com a sua palavra, mas com meu corpo. Também pudera, absorvido em seu maravilhoso texto e sem que me desse conta, eu tinha fumado três cigarros em jejum.Mas devo confessar também uma torpeza. Na minha ausência percebi que o seu fã clube aumentou e a constatação de que esse fato se deu à minha revelia me deixou morto de ciúmes.O que se há de fazer? A grandeza não se tranca em escaninhos!!

    • Anonymous
    • November 23rd, 2008

    O fã clube aumentou mesmo e eu também sinto ciúmes hahahaha.Estou sem palavras minha poetisa número um. Como sempre mais uma poesia que você toca o meu coração.Um beijão!

    • Anonymous
    • November 25th, 2008

    Passei pra fazer uma visita. Está difícil…esse abril ta com muito erro.Mas continuo tentando…risos!bjus

    • Anonymous
    • November 21st, 2008

    Dá pra sentir que em você a poesia se faz mesmo sozinha. Lindo!

    • Anonymous
    • November 24th, 2008

    Leda, tenho tidos muitos problemas com minha máquina e acho que terei de pará-la para uma manutenção geral. Com isso pouco tenho visitados meus blogueiros favoritos. Bom que agora, quando o micro deu uma trégua, consigo ler tão belas palavras. Você sempre nos emociona. Por isso seu fã clube, só tende a aumentar.
    Mesmo ficando ausente por causa de viagens e problemas no micro, estou publicando textos, poemas, fotos e afins, que já se encontram agendados, relativos à minha ida a Belém em Fevereiro quando fui deixar minha filha lá. Espero que esteja acompanhando e gostando.
    Abraços

  1. No trackbacks yet.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: